segunda-feira, 4 de julho de 2016

Molduras


Este sábado, houve encontro dos UskP na Quinta da Fidalga, no Seixal. Um lugar inesperado com jardins, pomares, fontes, lagos. Um local histórico que já foi uma propriedade agrícola e de recreio, fundada no sec. XV.
Recentemente foi inaugurado, no interior da Quinta da Fidalga, o Museu-Oficina de Artes Manuel Cargaleiro onde se pode ver uma colecção de azulejos do artista, que figuram em diferentes obras públicas em Portugal e no estrangeiro. O edifício é da autoria do arquitecto Álvaro Siza Vieira. Foi inevitável lembrar a Fundação Iberê Camargo, em Porto Alegre, onde as janelas são molduras de quadros perfeitos. O mesmo acontece neste edifício. O difícil mesmo é escolher as nossas molduras, onde pomos o limite para o enquadramento que funciona.

Dos muitos elementos passíveis de serem desenhados e “emoldurados”, a figura humana é uma tentação. Principalmente quando se trata de alguém lindo e expressivo. Eu sei que a Celeste é muitas vezes “raptada” para figurar nos cadernos da rapaziada. Há muito que eu também a queria “raptar”. Sábado foi o meu dia de me camuflar, no meio do jardim, a olhar para a Celeste.

4 comentários:

  1. Gosto imenso do contorno da figura humana!

    ResponderEliminar
  2. Espero ir lá passear e desenhar , lá mais para o Outono. Fiquei com pena de não ter podido ir convosco, mas nem sempre se conseguem conciliar as diversas actividades 🌅

    ResponderEliminar